LIÇÕES OCULTAS - WALDO VIEIRA

sexta-feira, 24 de agosto de 2012




    Fruto podre.
 
        Fora pomo disputado, mas estava podre agora.
        Transeuntes, ao darem com ele, torciam o nariz.
        Censurava-se, à meia voz, a quem havia deixado ali, na rua, semelhante imundície.
        Fruto podre gera podridão — diziam homens prudentes.
        Mulheres que passavam referiam-se a desleixo.
        Crianças aproximavam-se e tocavam-no, de leve, para atirarem com ele, de novo, no chão, com desprezo evidente.
        Nem os animais se sentiam tentados a inclui-lo na ração.
        Mas veio o lavrador e tomou-o com bondade.
        Cortou-lhe os envoltórios, dissecou-lhe os tecidos e apanhou-lhe as sementes, vivas e puras, internando-as no solo...
        E, em pouco tempo, árvores vigorosas, nascidas do fruto menosprezado, erguiam-se da terra, carregadas de flores e frutos nutrientes...

*

        Nossos erros são também como frutos podres.
        Vezes e vezes, quem passa olha para eles com ar de repugnância.
        Quem os analisa, quase sempre amaldiçoa ou reprova.
        Mas, se lhes buscarmos as lições ocultas, que existem quais as sementes nos frutos deteriorados, com elas construiremos caminhos outros no rumo da perfeição.
        Todos somos lavradores da terra de nós mesmos.
        E a cultura perfeita de nossas experiências e destinos pede também que plantemos e replantemos.


(De “Bem-aventurados os simples”, de Waldo Vieira, pelo Espírito Valérium)


       

Sundararupaya - Sathya Sai Baba darshan video



"Eu vim para acender a lâmpada de Amor em vossos corações, para vê-la brilhar no dia a dia com mais brilho. Vim para dizer-te desta fé unitária, este princípio espiritual, este caminho de Amor, essa força do Amor, este dever de Amor, esta obrigação de Amor."

{Sai Baba}
 
 Viver um período como esse, reconhecendo a Encarnação de um Avatar entre nós é uma raridade que não cabe nos eventos históricos de nosso tempo. A vida atribulada nos faz duvidar dessa possibilidade, mas ao se aproximar, seja presencialmente, seja em meditação do Amor emanado por esse doce Mestre... jamais pode negar a infalibilidade de sua Luz.

Livros foram escritos por pessoas das mais variadas crenças, religiosidades, jornalistas, pessoas de todo o mundo sobre esse Ser incrível que se manteve no corpo físico pelos últimos 85 anos.

Aprendi a amar e respeitar Sai Baba a partir de meus primeiros mestres de Reiki, eles foram a ponte para me ligar a esse Ser Cósmico de Amor. Como uma de minhas amadas mestras reiki me dizia: "Conhece-se a árvore pelo seu fruto. E os frutos de Sai Baba foram e serão frutos do Amor vivo, escolas, hospitais, universidades, curas e modificações espirituais em seus milhares de devotos."

Sai Baba foi o líder espiritual mais influente da atualidade, tendo recebido o Papa João Paulo II e a Sua Santidade Dalai Lama em seu Ashram, Índia, conquistando a admiração de pessoas de todo o mundo, devido ao seu ecumenismo e universalismo espiritual e religioso, além de seu incrível respeito e amor aos seres humanos e à Vida!

Terapeuta NELSON MATHEUS



A melhor idade do amor

quinta-feira, 23 de agosto de 2012
 
A melhor idade do amor
 
Sábado, dez horas e vinte e um minutos da manhã. Chuva insistente de outono.Um casal adentra uma panificadora para tomar café.
Dois cafés com leite e três pães de queijo, por favor.
Ela parece um pouco agitada. Não tira os olhos dele.Ele parece tranquilo, dessas pessoas que já conseguem viver num tempo um pouco mais lento do que o do relógio.
A diferença de idade é gritante. Não mais de quarenta, ela. Próximo aos oitenta, ele.
Ele olha para fora pela janela entreaberta.
Ela sorri, carinhosa.
Todos os seus filhos nasceram aqui nesta cidade?
Ele pensa um pouco... - Sim, todas elas... Três filhas.
E você? Onde nasceu?– Volta a inquirir a mulher.
Eu não sou daqui. Nasci no interior... Longe da cidade.
E o que você lembra de lá?
Ah... Muitas coisas... – Responde ele, com leve sorriso.
Então, silencia. Parece fazer algum esforço para recordar de algo especial, mas logo desiste. Volta a olhar para fora, procurando a chuva fina.
Sabe... Acho que tive uma vida feliz...
Ela permanece interessada. Um interesse de primeiro encontro. Observa os cabelos brancos dele, a tez um pouco castigada, os olhos azuis.
Respira fundo. Alguém poderia dizer que é o respirar de quem está apaixonado.
Você só casou uma vez? – Pergunta ela, com certo embaraço na voz.
Sim. Tereza. Mãe de minhas meninas. Que Deus a tenha.
Ela fica um pouco emocionada e constrangida, repentinamente. Esboça um sorriso para disfarçar. Olha para a mesa. Ainda resta um pão.
Pode comer. Já estou satisfeita.
Almoçamos juntos amanhã? – Pergunta ele, ansioso por ouvir um sim.
Sim... Claro que sim. É dia de almoçarmos juntos. Você sabe que gosto muito de estar com você, de ouvir suas histórias...
Estou um pouco esquecido hoje, eu acho. Contei pouco...
Não tem problema. – Diz ela, carinhosa. -Tem dias que a gente está com a memória mais fraca mesmo.
Doutor Maurício disse que é importante ficar puxando as coisas da memória sempre. Ele diz que é como um exercício físico que fazemos para não “enferrujar”. – Conclui ele.
É verdade... – Ela suspira. – Precisamos cuidar da memória...
Novamente um longo silêncio entre os dois.
Ele volta a vislumbrar o exterior, contemplativo.
Ela nota seu rosto em detalhes, ternamente.
Fecha os olhos, por um instante, como se fizesse uma breve oração, uma rogativa sincera a uma Força Maior.
Volta a abri-los, vagarosamente, e então pergunta:
Pai...Pai... Posso pedir a conta?
Ele acena positivamente. A conta chega. Ela se levanta primeiro, vai em direção a ele, envolve-o num abraço e o ajuda a levantar.
Aquela era a rotina de todo sábado, às dez horas e vinte e um minutos da manhã, nos últimos dez meses.
*   *   *
Foram nossos genitores que nos proporcionaram um corpo, abençoado instrumento de trabalho para o nosso progresso, bem como um lar.
Pensando em tudo isso, louve aos seus pais. Cuide deles, agora quando estão velhos, alquebrados, frágeis ou doentes.
Faça o possível para não os atirar nos tristes quartinhos dos fundos da casa, aonde ninguém vai. Não se furte à alegria de apresentá-los aos seus amigos e às suas visitas;
Ouça o que eles tenham a dizer. Quando estejam em condições para isso, leve-os para as refeições à mesa com você. Retribua, assim, uma parcela pequena do muito recebido por seus genitores anos atrás.

Redação do Momento Espírita com base no cap. 7, do livro Ações
corajosas para viver em paz, pelo Espírito Benedita da Silva,
psicografia de José Raul Teixeira, ed. Fráter
Disponível no cd Momento Espírita, v. 19, ed. Fep
Em 09.08.2012.




Meditação - Encontro com Jesus - Divaldo

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Biblioteca Virtual Espírita Preciosidades para conferir, analisar e arquivar.


 
Biblioteca Virtual Espírita
 
Preciosidades para conferir, analisar e arquivar.
 
Além de mais de 1.700 livros em PDF, ela contém artigos, revistas, apostilas, slides, áudios e vídeos muito bons, que irão certamente nos auxiliar em nossa jornada. Dentre os áudios temos as radionovelas: Há 2.000 Anos, 50 Anos Depois, Sexo e Destino, Violetas na Janela, Nosso Lar e vários outros fantásticos.

( 1.705 livros completos ) *
( 1.703 artigos interessantes )
( 708 revistas completas )
( 204 apostilas de cursos ) *
( 708 slides maravilhosos )
( 474 áudios diversos )
( 470 vídeos diversos )
 
 


Palestra Emoções - Anete Guimarães

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

A vida no Umbral parte 3/3





 

Os Samaritanos

Os samaritanos, que também são chamados de missionários, socorristas e emissários, são trabalhadores dos postos de socorro que saem em caravanas pelo Umbral e pela crosta do Planeta Terra à procura de pessoas e socorrem os que pedem auxílio.
Se vestem com capas e gorros de cor bege ou marrom-claro e botas altas. Desta forma peregrinam pelo Umbral sem serem percebidos. Muitas vezes são invisíveis aos sentidos de espíritos de baixa vibração.
Existem relatos onde os samaritanos contam com a ajuda de cavalos para percorrer distâncias maiores e cães que são utilizados como proteção. Outros relatos falam sobre a existência de veículos especiais chamados de Aeróbus*.
Raras são as excursões em que não ocorrem ataques aos samaritanos. São atacados por espíritos maldosos que podem se transfigurar em criaturas horrendas com o intuito de intimidar e amedrontar as caravanas. Os que atacam jogam pedras, paus, lama, matéria podre e alguns chegam a construir armas que não fazem qualquer efeito aos samaritanos. Para defesa utiliza-se ainda redes de proteção e armas que emitem eletricidade. Ao serem atingidos por este tipo de raio o espírito entra em um processo semelhante ao da morte, pois lhe faz relembrar todo sofrimento que passou em sua mais recente desencarnação. Com medo, muitos espíritos só tentam intimidar, e muitas vezes se afastam em desespero.
Existem situações em que os Samaritanos precisam resgatar pessoas dentro das populosas cidades do Umbral. A forma como fazem isto depende do tipo de cidade. Existem casos em que pedem autorização aos lideres da região. Em outros a pessoa a ser resgatada não é de interesse dos moradores da cidade e neste caso não existe problema algum em entrar e levar estas pessoas. Existem ainda situações em que precisam utilizar disfarces ou entrarem sem serem vistos pelos habitantes do local. Em situações de perigo podem mudar de vibração, se tornando invisíveis. Desta forma não podem ser capturados pelos espíritos trevosos do Umbral. Muitos habitantes do Umbral sabem quem são e o que podem fazer e mantêm um ar de respeito quando estão presentes.
Ao resgatarem algumas dezenas de espíritos, os samaritanos retornam ao seu posto de socorro. São verdadeiros farrapos humanos, alguns seminus, outros com suas roupas em trapos e o corpo imundo e ferido. No posto os espíritos são tratados e orientados. O tratamento pode levar alguns dias ou alguns meses. Continuam livres e podem optar por retornar ao Umbral ou seguir para uma Colônia, onde terminarão seu tratamento e passarão a frequentar aulas e cursos para que se informem sobre sua atual situação após a morte.
Um espírito só pode ser ajudado pelos samaritanos quando deseja com sinceridade ser ajudado. Não se pode ajudar ninguém à força. Não se perde tempo resgatando espíritos revoltados, pois se não querem mudar, não poderão mudar à força. Sua revolta ainda poderá atrapalhar os trabalhos e a recuperação de outros espíritos dentro dos postos e hospitais.
Existem casos em que os espíritos se encontram em níveis tão baixos de vibração que não conseguem ver e se comunicar com os samaritanos. Desta forma não podem ser ajudados.
Relatos mostram que em determinados casos os samaritanos podem convencer o espírito a ter vontade de melhorar, de ser socorrido e ajudado. É possível mostrar a estes espíritos imagens das colônias e da felicidade e paz que poderá ter. Este trabalho de convencimento pode passar pelo uso da força. É o caso de fazer o espírito se recordar do sofrimento, dor e angústia que passou no passado, fazendo o mesmo desejar sair daquela situação.
São muitos os espíritos que, mesmo em estado deplorável no Umbral, preferem continuar na vida em que estão. Isto não é muito diferente do que existem aqui na Terra. Uma parcela dos moradores de rua, mendigos, idosos e crianças continuam nas ruas por opção. Não suportam os abrigos, a limpeza, a organização, a necessidade de obedecer a alguém. Preferem viver livres de qualquer lei, norma, organização, junto da miséria. Infelizmente só se pode ajudar alguém quando este alguém quer realmente ser ajudado.
* * *
* Aeróbus - Carro suspenso do solo a uma altura de cinco metros. Seu sistema de tração se dá por meio de cabos, como os teleféricos. Constituído de material muito flexível, possui enorme comprimento. Descrito por André Luiz no livro Nosso Lar, constituía na época o meio de locomoção mais usado na colônia. Muito veloz, o aeróbus fazia ligeiras paradas de três em três quilômetros. (Livro 'Nosso Lar' / Cap. 10 – André luiz / Chico Xavier)

A Vida no Umbral - 2/3



 

Postos de Socorro

Os postos de socorro se encontram espalhados pelas regiões sombrias do Umbral. Este local de ajuda, semelhante a um complexo hospitalar, normalmente é vinculado a uma colônia de nível superior. Nele encontramos espíritos missionários vindos de regiões mais elevadas que trabalham na ajuda aos espíritos que vivem nas cidades e regiões do Umbral e que estão à procura de tratamento ou orientação.
Quando o espírito ajudado desperta para a necessidade de melhorar, crescer e evoluir é levado para uma colônia onde será tratado e passará seu tempo estudando e realizando tarefas úteis para seu próximo. Quando se sentem incomodados e mergulhados em sentimentos como o ódio, vingança, revolta acabam retornando espontaneamente para os lugares de onde saíram. Continuamos sempre com nosso livre arbítrio.
Os postos de socorro não são cidades, mas alguns deles possuem grande dimensão, se assemelhando a uma pequena cidade no meio do Umbral. Muitos ficam nas regiões periféricas do Umbral. Alguns se encontram dentro das cidades do Umbral.
Vistos à distância são pontos de luz e de beleza no meio da paisagem triste, escura, fria, nebulosa que compõe as paisagens naturais do Umbral. Os postos de socorro são locais bonitos, iluminados, com grandes jardins, em meio a um cenário desolador e triste.
Os postos de socorro são constantemente procurados por pessoas desesperadas e perdidas no Umbral querendo abrigo e ajuda. Também é um local alvo de espíritos maldosos que desejam continuar mantendo o controle e o poder sobre as pessoas que moram nas regiões do Umbral. Com isto realizam constantes ataques às instalações dos postos.
Todos os postos possuem sofisticados sistemas de segurança que monitoram as regiões ao redor do posto. Sensores detectam a presença de vibrações a um raio de 3 km do posto. Sistemas de defesa que emitem descargas elétricas são utilizados para afastar os atacantes. Os choques gerados pela força os fazem recuar, já que lhe fazem sentir dores insuportáveis.
Os espíritos que vivem no Umbral ainda estão ligados ao mundo material. Muitos sequer compreendem que estão mortos e isto lhes gera grande agonia e sofrimento. Por acreditarem estar vivos continuam sentindo seus corpos e suas necessidades físicas. Sentem dor, sentem fome, sentem sede, sono etc. Muitos sofrem de doenças, ferimentos, mutilações ocorridas na morte ou em situações sinistras vividas no Umbral.
A visão interna de um posto de socorro lembra um grande hospital. Os espíritos atendidos lembram monstros de um filme de terror. Se parecem realmente com mortos-vivos. Sofrem movidos pelos sentimentos humanos que ainda cultivam: o ódio, a vingança, egoísmo e outros sentimentos negativos. Vinculados à matéria, ainda sofrem como se possuíssem um corpo. E isto acaba se refletindo em sua aparência monstruosa, que só pode ser modificada a partir da sua conscientização sobre sua realidade. As enfermarias dos postos estão sempre repletos de espíritos necessitados de orientação, alimento, limpeza e cuidados. É como ver mortos-vivos agonizando por ajuda em seus leitos.
Equipes chamadas de Samaritanos realizam incursões no Umbral em busca de espíritos que procuram ajuda. Ao retornarem com dezenas de espíritos que mais parecem farrapos humanos são recebidos pelas equipes de socorro que iniciam o trabalho de acolhimento, alimentação, limpeza e orientação destes espíritos. Ao serem internados podem se recuperar para serem enviados para colônias no plano mais elevado, fora do Umbral. Também é comum que espíritos cheguem às muralhas dos postos à procura de ajuda e ali são socorridos.
Também existem postos de socorro na Terra. São destinados a socorrer e orientar espíritos recém-desencarnados. Pessoas que acabam de morrer costumam ficar totalmente desorientadas. Muitas não sabem que estão mortas. É fácil imaginar o sentimento horrível e a loucura que uma pessoa nesta situação pode passar. Estes postos estão localizados no mundo invisível exatamente no mesmo local onde estão hospitais, cemitérios, sanatórios, presídios, igrejas, centros espíritas etc. São nestes locais onde se pode encontrar o espírito de pessoas que acabam de desencarnar ou que estão procurando algum tipo de ajuda.
* * *
Após a morte do corpo físico, a alma se encontra tal qual vive intrinsecamente.” (Do livro “Nosso Lar” / Cap. 16 - André Luiz / Chico Xavier)
* * *
Os sofrimentos que torturam mais dolorosamente os Espíritos, do que todos os outros sofrimentos físicos, são os das angústias morais.” (O livro dos Espíritos – Questão 255)

A Vida no Umbral - Parte 1/3





 

O Umbral

Localiza-se em um universo paralelo que ocupa um espaço invisível aos nossos sentidos, que vai do solo terrestre até a algumas dezenas de metros de altura na nossa atmosfera.
O tempo, e as condições climáticas do Umbral seguem um ritmo equivalente ao local terrestre onde se encontra. Quando é noite sobre uma cidade, é noite em sua equivalência no Umbral. A névoa densa que cobre toda atmosfera dificulta a penetração da luz solar e da lua. A impressão que se tem é que o dia é formado por um longo e sombrio fim de tarde. À noite não é possível ver as estrelas e a lua aparece com a cor avermelhada entre grossas nuvens. Sua maior concentração populacional está junto as regiões mais populosas do globo. Encontramos cidades de todos os portes, grupos de nômades e espíritos solitários que habitam pântanos, florestas e abismos.
É descrito por quem já esteve lá como sendo um ambiente depressivo, angustiante, de vegetação feia, ambientes sujos, fedorentos, de clima e ar pesado e sufocante. Para alguns espíritos é uma região terrível e horripilante. Para outros é o local onde optaram viver. A vegetação varia de acordo com a região do Umbral. Muitas vezes constituída por pouca variedade de plantas. As árvores são normalmente de baixa estatura, com troncos grossos e retorcidos, de pouca folhagem. Existem também áreas desertas, locais rochosos, e lugares de vegetação rasteira composta de ervas e capim. É possível encontrar alguns tipos de animais e aves desprovidos de beleza. No Umbral se encontram montanhas, vales, rios, grutas, cavernas, penhascos, planícies, regiões de pântano e todas as formas que podem ser encontradas na Terra.
Como os espíritos sempre se agrupam por afinidade (igual a todos nós aqui na Terra), ou seja, se unem de acordo com seu nível vibracional, existem inúmeras cidades habitadas por espíritos semelhantes. Algumas cidades se apresentam mais organizadas e limpas do que outras. Todas possuem espíritos lideres que são chamados de diversos nomes: chefes, governadores, mestres, presidentes, imperadores, reis etc. São espíritos inteligentes mas que usam sua inteligência para a prática consciente do mal. São estudiosos de magia, conhecem muito bem a natureza e adoram o poder, quase sempre odeiam o bem e os bons que podem por em risco sua posição de liderança.
Há grupos de pessoas nas cidades que trabalham para os chefes. Acreditam ter liberdade e muitas vezes gostam de servirem seu chefe na ansiedade pelo poder e status. Consideram-se livres, mas na verdade não o são, ao menor erro ou na tentativa de fugir são duramente punidos.
Existem os espíritos escravos que vivem nas cidades realizando trabalho e mantendo sua estrutura sem receberem nada em troca além da possibilidade de lá morarem. São duramente castigados quando desobedecem e vivem cercados pelo medo imposto pelo chefe da cidade.
As cidades possuem construções semelhantes às que encontramos nas cidades da Terra. As maiores construções são de propriedade do chefe e de seus protegidos. Sempre existem locais grandiosos para festas, e local para realização de julgamentos dos que lá habitam. Em cada cidade existem leis diferentes especificadas pelos seus lideres. Lá também encontramos bibliotecas recheadas de livros dedicados a tudo que de mal e negativo possa existir. Muitos livros e revistas publicados na Terra são encontrado lá, principalmente os de conteúdo pornográfico.
Pode-se se perguntar: Porque é permitido que existam estes chefes e esta estrutura negativa de tanto sofrimento? Deus nos permite tudo, ele nos deu o livre arbítrio. O homem tem total liberdade para fazer tudo de ruim ou tudo de bom. Quando faz ou constrói algo de ruim acaba se prejudicando com isso e aos poucos, com o passar de anos ou de séculos vai aprendendo que o único caminho para a libertação do sofrimento e da felicidade plena é a prática do bem. A vida na Terra e no Umbral funcionam como grandes escolas onde aprendemos no amor ou na dor.
Ninguém vai para o Umbral por castigo. A pessoa vai para o lugar que melhor se adapta à sua vibração espiritual. Quando deseja melhorar existe quem ajude. Quando não deseja melhorar fica no lugar em que escolheu. Todos que sofrem no Umbral um dia são resgatados por espíritos do bem e levados para tratamento para que melhorem e possam viver em planos de vibrações superiores. Existem muitos que ficam no Umbral por livre e espontânea vontade se aproveitando do poder e dos benefícios que acreditam ter em seus mundos.
Além das cidades encontramos o que é chamado de Núcleos. Não constitui uma cidade organizada como conhecemos, mas se trata de um agrupamento de espíritos semelhantes. Os grupamentos maiores e mais conhecidos são os dos suicidas. Estes núcleos são encontrados nas regiões montanhosas, nos abismos e vales. Por serem espíritos perturbados são considerados inúteis pelos habitantes do Umbral e por isto não são aceitos e nem levados para as cidades em volta. Os vales dos suicidas são muito visitados por espíritos bons e ruins. Os bons tentam resgatar aqueles que desejam sair dali por terem se arrependido com sinceridade do que fizeram. Os espíritos ruins fazem suas visitas para se divertirem, para zombarem ou para maltratarem inimigos que lá se encontram em desespero. Não é difícil imaginar um local com centenas de milhares de pessoas que cometeram suicídio, todas ali unidas, sem entender o que está acontecendo, já que não estão mortas como desejariam estar.
Existem os núcleos de drogados onde também existem pequenas cidades. Existem algumas poucas cidades de drogados de porte grande no Umbral. Realizam-se grandes festas e são cidades movimentadas. Existem relatos psicografados sobre uma região de drogados chamada de Vale das Bonecas e cidades como a de Tongo que é liderada por um Rei. Para todo tipo de vício da carne existem cidades e núcleos de viciados. Por exemplo, existem cidades de alcoólatras ou de compulsivos sexuais. Todos os viciados costumam visitar o planeta Terra em bandos para sugarem as energias prazerosas dos vivos que possuem os mesmos vícios.
É comum a existência de núcleos de marginais. Locais onde estão reunidos assaltantes, assassinos, ladrões, traficantes e outros tipos de criminosos em sintonia mútua.
Nas regiões fora das cidades e longe dos núcleos encontramos andarilhos solitários, espíritos considerados inúteis até pelos povos de cidades e núcleos do Umbral.
Grandes tempestades de chuva e raios ocorrem em todo Umbral. Tem importante função de limpar os excessos de energias negativas acumuladas no solo e no ar, tornando o ambiente menos insuportável aos seus habitantes.
As cidades, tribos e vilarejos do Umbral normalmente possuem chefes ou lideres. São pessoas inteligentes com capacidade de liderança que costumam controlar, dominar e explorar as almas que nestas cidades residem. Como se pode ver não é muito diferente da vida aqui na Terra, onde temos exploradores e explorados. Exercem seu controle a partir do medo, das mentiras, da escravidão, de regras rígidas e violência. Algumas sabem que estão no Umbral e sabem que trabalham pelo mal das pessoas. Seu reinado não dura muito tempo já que espíritos superiores trabalham para convencer sobre o mal que faz a si mesmo fazendo o mal aos outros. É comum que estes “chefes” desapareçam inesperadamente destas cidades por terem sido resgatados por bons Samaritanos em suas missões. Em pouco tempo uma nova liderança acaba assumindo o posto de chefe nestas cidades.
As regiões umbralinas são as que mais se parecem com a Terra. Os espíritos, por estarem ainda muito atrelados à vida material, por lhe faltarem informação e conhecimento, acabam vivendo suas vidas como se realmente estivessem vivos. As necessidades básicas do corpo acabam se manifestando nestes espíritos. Sofrem por sentirem dores, sono, fome, sede, desejos diversos.
No Umbral encontramos grupos de pessoas que se consideram justiceiras. Coletam espíritos desorientados em hospitais, cemitérios, e no próprio umbral. Pessoas que fizeram muito mal a outras durante a vida ou em outras vidas, e pessoas que fizeram poucos amigos e por isto não tem quem as possa ajudar. Estes espíritos sedentos de vingança e de justiça feita pelas próprias mãos conseguem aprisionar e escravizar as pessoas que capturam. Acreditam que as pessoas que estão no Umbral só estão lá por merecimento. E isto não deixa de ser verdade. Mas no lugar de ajudar estas pessoas, eles a maltratam por vingança e ódio pelo mal que cometeram enquanto estavam vivas.
Somente quando estas pessoas se arrependem dos erros que cometem na Terra e esquecem os sentimentos negativos que ainda nutrem é que os espíritos mais elevados conseguem se aproximar para seu resgate.

* * *
Umbral, situado entre a Terra e o Céu, dolorosa região de sombras, erguida e cultivada pela mente humana, em geral rebelde e ociosa, desvairada e enfermiça.” (Do livro “Ação e Reação” - André Luiz / Chico Xavier)
* * *
Se milhões de raios luminosos formam um astro brilhante, é natural que milhões de pequeninos desesperos integrem um inferno perfeito. Herdeiros do Poder Criador, geraremos forças afins conosco, onde estivermos.” (Do livro “Libertação” - André Luiz / Chico Xavier)
* * *
O estado de tribulação é pertinente ao espírito e não ao lugar. Esses lugares não são infelizes, de vez que infortunados são os irmãos que os povoam...” (Do livro “E a Vida Continua” - André Luiz / Chico Xavier)

TRANSIÇÃO PLANETÁRIA






"Vive-se, na Terra, o momento da grande transição de mundo de provas e de expiações, para mundo de regeneração.
As alterações que se observam são de natureza moral, convidando o ser humano à mudança de comportamento para melhor, alterando os hábitos viciosos, a fim de que se instalem os paradigmas da justiça, do dever, da ordem e do amor.
Anunciada essa transformação que se encontra ínsita no processo da evolução, desde o Sermão profético anotado pelo evangelista Marcos, no capítulo XIII do seu livro, quando o Divino Mestre apresentou os sinais dos futuros tempos após as ocorrências dolorosas que assinalariam os diferentes períodos da evolução.
Sendo o ser humano um Espírito em processo de crescimento intelecto-moral, atravessa diferentes níveis nos quais estagia, a fim de desenvolver o instinto, logo depois a inteligência, a consciência, rumando para a intuição que será alcançada mediante a superação das experiências primevas, que o assinalam profundamente, atando-o, não raro, à sua natureza animal em detrimento daquela espiritual que é a sua realidade.
Mediante as reencarnações, etapa a etapa, dá-se-lhe o processo de eliminação das imperfeições morais, que se transformam em valores relevantes, impulsionando-o na direção da plenitude que lhe está destinada.


Clique no link abaixo:


http://www.4shared.com/office/slG5bwNg/transicao_planetaria_franco_di.html

- Ramatís e Os Iniciados*** - (Recebido espiritualmente por Wagner Borges

 
 
 
 
 
 
 
Da mesma forma que uma pessoa deixa de andar na grande avenida, quando entra num beco, algumas pessoas se permitem entrar em becos emocionais - dentro delas mesma. E, quando fazem isso, saem da grande avenida da vida e entram em climas obscuros. Dentro do beco escuro de seus recalques e emoções mal resolvidas, tornam-se vítimas de si mesmas, presas de monoideísmos variados e sob sérios riscos de estagnação psíquica. E, o pior: na escuridão do beco também estão entes estranhos, ligados por sintonia espiritual, nas mesmas condições doentias. Quem se prende em emoções densas, perde a liberdade de transitar pelas grandes vias da consciência lúcida e sadia. Porque, para ser livre, é preciso coragem de romper com os padrões antigos e desgastados, e abraçar a Luz, de frente, sem medo do Amor Real. Em contrapartida, quem abraça o ódio, torna-se escravo de si mesmo e paga o preço alto de andar na companhia de seres trevosos, que se ligam psiquicamente em sua aura* e aderem ao seu corpo espiritual** , configurando, assim, um processo de simbiose psíquica deletéria. Isso porque o “semelhante atrai o semelhante!”
Por isso, os mentores espirituais de todas as tradições sempre aconselharam aos homens a extirparem as ervas daninhas da arrogância e da intemperança de seus “jardins internos”, de suas vias conscienciais (mentais, emocionais, e vitais). O coração do homem é lar da Luz, e não pode ser corrompido, de forma alguma. Urge que cada um se aperceba da necessidade de enfrentar os seus medos e desilusões, caminhando em frente, resoluto, para a avenida do bom senso e da Luz.

Vencer a si mesmo, essa é a tarefa magna do Ser. E isso não é um jogo de palavras místico, é a realidade chamando para o real despertar da consciência. Ficar no beco escuro de si mesmo é uma forma de autodefesa do ego, mas impede a caminhada do Ser pelas largas avenidas da consciência cósmica. E empata a expressão criativa e a alegria de viver e amar. A senda é em todo lugar, menos no beco. Para evitar a Luz do esclarecimento, muitos se escondem atrás de padrões psíquicos de auto-sabotagens variadas. E fazem isso como se fosse algo natural escorar-se nas trevas de dentro delas mesmas. E, como vários espíritos desencarnados fazem isso também, uma coisa leva a outra... Então, os corações se tornam prisões e se encontram no mesmo beco, sujeitos aos intercâmbios conscienciais doentios. Os becos de dentro estão cheios de auto-culpas e emoções desencontradas. São como “cacos psíquicos” espetando os pés de quem fica por ali. Mesmo assim, os homens teimam em não ir para a via luminosa que os chama para o progresso e a manifestação sadia e consciente. Preferem ruminar emoções e apegos variados... E, muitas vezes, regurgitam isso como condições psíquicas negativas, ou tendências autodestrutivas, de difícil solução. O Alto só pode apontar a direção das vias luminosas e exortar os homens a se esforçarem mais em suas jornadas internas. Compete aos próprios homens o esforço de se movimentarem em direção à Luz, saindo dos becos escuros e vencendo a si mesmos.

As trevas são sedutoras e enganosas, e parecem confortáveis, mas drenam as energias e adoecem o Ser. E formam correntes de dor por entre os inumeráveis planos de manifestação, ligando, assim, encarnados e desencarnados nos intrincados processos das obsessões espirituais. Por isso, o Alto exorta novamente os homens: “Avante! Saiam dos seus becos escuros e rumem para a Luz! Curem-se das desditas e malefícios gerados por suas escolhas e atitudes equivocadas. Reajam contra a corriola dos pensamentos negativos que assediam suas mentes, e exonerem o próprio coração das mágoas e sujeiras psíquicas. Escorem-se na Luz e implementem mais criatividade e alegria em suas vidas. Não se deixem enganar: o lugar de vocês é na Luz, sempre foi...”

Despertar a consciência é preciso! Então, avante, para a Luz... Porque, quem quer mais Luz, que seja Luz. Paz e Luz.

- Ramatís e Os Iniciados*** -

(Recebido espiritualmente por Wagner Borges – São Paulo, 12 de fevereiro de 2010)

********************************************************

- Notas:

* Aura – do latim, aura - sopro de ar – halo luminoso de distintas cores que envolve o corpo físico e que reflete, energeticamente, o que o indivíduo pensa, sente e vivencia no seu mundo íntimo; psicosfera; campo energético.

** Corpo espiritual - Cristianismo - Cor. I, cap. 15, vers. 44.

Sinonímias: Corpo astral - do latim, astrum - estrelado - expressão usada pelo grande iniciado alquimista Paracelso, no séc. 16, na Europa, e por diversos ocultistas e teosofistas posteriormente.

Perispírito - Espiritismo - Allan Kardec, séc. 19, na França.

Corpo de luz – Ocultismo.

Psicossoma - do grego, psique - alma; e soma, corpo. Significa literalmente "corpo da alma" - Expressão usada inicialmente pelo espírito André Luiz nas obras psicografadas por Francisco Cândido Xavier e por Waldo Vieira, nas décadas de 1950-1960, que atualmente é mais usada pelos estudantes de Projeciologia.

*** Os Iniciados - grupo extrafísico de espíritos orientais que opera nos planos invisíveis do Ocidente, passando as informações espirituais oriundas da sabedoria antiga, adaptadas aos tempos modernos e direcionadas aos estudantes espirituais do presente.

Composto por amparadores hindus, chineses, egípcios, tibetanos, japoneses e alguns gregos, eles têm o compromisso de ventilar os antigos valores espirituais do Oriente nos modernos caminhos do Ocidente, fazendo disso uma síntese universalista. Estão ligados aos espíritos da Fraternidade da Cruz e do Triângulo. Segundo eles, são “iniciados” em fazer o bem, sem olhar a quem.

********************************************************

Fonte: Texto recebido por e-mail em 24 de Fevereiro de 2010.

IPPB - Inst. Pesq. Projeciológicas e Bioenergéticas

********************************************************


O Auxilio Virá

domingo, 19 de agosto de 2012








 
O problema que te preocupa talvez te pareça excessivamente amargo ao coração.

E tão amargo que talvez não possas comentá-lo, de pronto.

Às vezes, a sombra interior é tamanha que tens a idéia de haver perdido o próprio rumo.

Entretanto, não esmoreças.

Abraça o  dever que a vida te assinala.

Serve e ora.

A prece te renovará energias.

O trabalho  te auxiliará.

Deus não nos abandonará.

Fazê silêncio e não te queixes.

Alegra-te e espera porque o Céu te socorrerá.

Por meios que desconheces, Deus permanece agindo.


“O seu melhor te protege”- Gasparetto + video legendado

sexta-feira, 17 de agosto de 2012



“O seu melhor te protege”

 

“O seu melhor te protege”, assim se intitula uma das melhores aulas do nosso querido Gasparetto.

A expressão: "Deus move o céu inteiro naquilo que o ser humano é incapaz de fazer. Mas não move uma palha naquilo que a capacidade humana pode resolver" é bem comum na internet e exemplifica muito bem o que hoje eu quero lhes dizer.
É muito afetuoso vermos Deus como uma figura paterna, que cuida de nós e nos protege. Eu não duvido de nem um e nem de outro, mas o que eu ponho em questão é como ele faz isso.
Será que Deus nos daria a chance de desenvolvermos nosso potencial, se simplesmente nos desse de mãos beijadas tudo o que queremos?
Será que Deus nos ensinaria como viver, se nos livrasse de todo o mal que nós mesmos procuramos?
Será que Deus seria realmente um afetuoso pai, se ele em vez de nos dar a chance de aprendermos a ser supremos, enxugasse nossas lágrimas e nos enchesse de presentes?
Eu acho que não.
Mas o que isso tem a ver com a lei do melhor? Simples: A lei nos diz que se fizermos o nosso melhor estamos protegidos, porém, se já aprendemos certo nível em algo e abaixarmos esse nível novamente, estaremos desprotegidos. Ou seja, faça o seu melhor, e receba o melhor da vida. Não faça, e esteja vulnerável a cair.
Simples, não é? Mas essa é uma verdade que poucos querem ver. A maioria se prende em uma ilusão de que existe alguém lá nos céus fazendo tudo por eles, sem saber que o tudo já foi feito: Em nós foi plantada a capacidade para realizar qualquer coisa.
Indispensável é explicar também que o seu melhor não é o melhor do seu vizinho. Parafraseando Shakespeare, não se compare com os outros, e sim com o melhor que pode ser.
O seu melhor pode ser um pequeno passo, mas será o seu melhor, e isso já é o suficiente nesse momento.
E procure eterno e exclusivamente melhorar o seu melhor!

 Faça o seu melhor por si e sinta ele fazer o melhor dele por você!

Wagner Borges: Falando de Assédios Espirituais e Emoções Daninhas

 
 
 
 
 
(Um Alerta Extrafísico aos Homens de Boa Vontade)
 
 
Quem se exaspera por qualquer coisa, facilmente cai nas malhas da própria intemperança. E o efeito disso é o rebaixamento da própria lucidez e a tomada de posturas iracíveis e equivocadas.
Além disso, sempre acontece a projeção de palavras descabidas (ou mesmo os impropérios, tão característicos de quem perde a razão por causa das emocões descontroladas).
Quem se predispôe às emoções conflitantes, paga um alto preço: a destruição do seu equilíbrio consciencial - e a consequente presença de espíritos inferiores e sugadores de energia em sua vida.
E para quem permite tal situação, o efeito é nefasto... Porque o seu campo energético fica bloqueado por grossas camadas de energias escuras.
E uma aura* assim é semelhante a uma casa suja e malcheirosa (e os espíritos grossos adoram esse tipo de clima de destempero psíquico).
Na realidade, eles adoram as emanações psíquicas de uma discussão acalorada... Praticamente se alimentam no rebotalho emocional das pessoas que lhes dão guarida.
E isso não tem a ver com a religião, raça ou condição social de ninguém.
É sintonia: emoções grossas atraem espíritos grossos!
E quem senta na lama, jamais sairá limpo dela.
Alguns espíritos cinzentos são como pulgões extrafisicos: adoram picar e sugar as energias. E, depois, largam os seus dejetos psíquicos na aura dos infelizes que picaram.
E é por isso que aparecem as massas energéticas escuras gravitando em torno do campo energético de suas vítimas.
Falando claro: são massas de excremento psíquico enxameando a atmosfera espiritual de quem se sujeita às emoções daninhas.
Então, fica aqui o alerta consciencial: quem se submete ao próprio desequilíbrio emocional, sempre correrá o risco de tornar-se "latrina psíquica"de espíritos sujos.
E que ninguém se assuste com isso. Pelo contrário, combata o próprio baixo nível emocional, pois, eliminando as causas deletérias, desaparecem os seus efeitos correspondentes.
Sem pensamentos ruins e sem emoções discordantes para se locupletarem, os sacripantas extrafísicos se afastam. Além disso, eles não toleram a Luz!
Portanto, quem gosta de discussões e contendas, que se acautele... Porque o preço a pagar é muito alto: ser transformado em depósito de larvas astrais e detritos do plano extrafísico inferior.
E isso é triste, muito lamentável... Porque o destino do homem é o despertar da consciência. E quem briga muito, se rebaixa espiritualmente, fala o que não deve, faz besterias e perde a própria Luz.
Que os homens de boa vontade se acautelem quanto a isso e sigam serenamente os caminhos do equilíbrio em seus pensamentos e emoções... Porque ficar em Paz é uma arte.
(Recebido espiritualmente por Wagner Borges - São Paulo, 07 de maio de 2012.)
- Nota de Wagner Borges: o espírito que me passou esses escritos não quer nenhuma ostensividade quanto à sua personalidade. Trata-se de um mentor extrafísico ligado aos trabalhos de desobsessão (desassédio espiritual), e de esclarecimento consciencial. Os seus apontamentos conscienciais são diretos e claros, como é de hábito de benfeitores extrafísicos que conhecem bem as tramas trevosas dos espíritos aferrados no péssimo costume do vampirismo energético. Por isso, ele não faz por menos e aponta mesmo as causas das obsessões, que sempre começam no próprio clima espiritual negativo do encarnado. E ele está cheio de razão nisso: quem guarda climas negativos em si mesmo, fatalmente atrairá para sua vida as presenças embaçadas do pessoal extrafísico pesado.
Paz e Luz.
- Notas do texto:
* Aura - do latim, aura - sopro de ar - halo luminoso de distintas cores que envolve o corpo físico e que reflete, energeticamente, o que o indivíduo pensa, sente e vivencia no seu mundo íntimo; psicosfera; campo energético.