O que Pensam de Mim? - Saul Brandalise Jr.

terça-feira, 27 de setembro de 2011










Praticamente todos nós, em alguma fase de nossa vida, nos preocupamos com o quê as pessoas pensam a nosso respeito. Isso tem origem na forma em que fomos criados e na importância que é dada ao fato.
A maioria não sabe que julgar cria Karma.
A maioria se preocupa, portanto, com o quê os outros pensam acerca de suas atitudes.

É inegável, porém, que para muitos isso possa até ser um "freio" em determinados sentidos. Mas também é verdade que isso inibe qualquer nova atitude a nosso favor. Quanto mais inovadora for a pessoa, quanto mais criativa e espontânea, mais alvo de criticas ela se tornará.

Para os acomodados o NOVO incomoda.
Felizmente para mim, num dia, muitos anos atrás, conversando com Lair Ribeiro, lhe confessava meu desconforto com relação a uma determinada atitude que teria de tomar... E o que as pessoas estariam pensando sobre isso.

Ele me disse em alto e bom som:
Saul, sobre o que as pessoas pensam a seu respeito o problema é delas. Você é que deve se preocupar em saber o que pensa de si próprio.
Achei que tinha aprendido a lição...

Não, ainda não havia aprendido TODA a lição. Somente cinquenta por cento dela.
Tentava aplicar o que o Lair me disse sempre que a situação se repetia. Mas continuava refém do problema. Muito me incomodava este fato...

Alguns anos atrás, novamente me deparei com o assunto. Nesta fase já tinha conhecido meu mestre... numa conversa muito valiosa, ele me disse:
Saul, se continuar pensando assim você irá estragar a sua saúde. Não acho que você deva dar tanta importância ao que pensam a seu respeito. Principalmente estas pessoas.
Recomendo que você analise se quem está tecendo comentários a seu respeito, é bem-sucedido. E, para uma pessoa ser bem-sucedida, em primeiro vem o campo sentimental. Depois precisa ser bem sucedido profissionalmente e, por fim, financeiramente.
A pessoa em questão é bem-sucedida?
Não, respondi.
Então não desça ao nível dela...
Mas, quando você encontrar uma pessoa bem-sucedida, sente ao seu lado e preste atenção no que ela fala.


Depois disso cheguei à conclusão de que havia efetivamente aprendido os outros cinquenta por cento e que de fato não há razão para nos preocuparmos com o que os outros pensam de nós.
Em primeiro lugar, porque não se deve julgar ninguém; todos estão em processo terreno de aprendizado.
Segundo, porque quem julga o faz de acordo com seus valores.
Terceiro, porque julgar cria karma.

Fiquei muito mais LEVE depois de perceber que sei o que sei.

Sei que nos veremos, mais ao nosso gosto.
Beijo na alma,

Saul Brandalise Jr.

MUDANÇAS

domingo, 25 de setembro de 2011










Não esperes pela morte do corpo para realizar o serviço da própria elevação.
Cada dia é oportunidade de ascensão ao melhor.
Cada tarefa edificante é degrau com que podemos subir às esferas superiores.
Todos respiramos em planos distintos e todos podemos alcançar horizontes
mais altos.
Se te habituaste à irritação, cultiva o silêncio e a tolerância com os quais
te desvencilharás dos laços sombrios da cólera, penetrando os domínios da
luz.
Se acalentas a disposição de comprar inimigos, através de atitudes
impensadas, detém-te na serenidade e aprende a servir aos desafetos,
alcançando, assim, o reino brilhante da simpatia.
Se ainda te debates nos desvãos da ignorância, não te esqueças do esforço na
leitura sadia e edificante para a aquisição do conhecimento e da sabedoria.
Se respiras no resvaladouro da queixa, esquece a ociosidade e o desânimo e,
erguendo-te para o trabalho digno, consagra-te ao suor enobrecedor, a fim de
incorporares ao próprio patrimônio espiritual o otimismo e a paz, o bom
ânimo e a alegria.
Há milhões de “círculos e vida”, dentro de nossa residência planetária.
Cada criatura vive na faixa de sentimento a que se ajusta.
O verme agarra-se à escuridão do subsolo.
O batráquio mora no charco.
A ave plana e canta na altura.
A chama envolve-se nas emanações da luz que irradia.
Assim também, cada alma reside na esfera de ideal que forma para si mesmo
com o próprio pensamento.
Quem deseje um mundo melhor, pode avançar, pelo trabalho e pela boa vontade,
no roteiro da ascensão, desde hoje.
Emmanuel

Sinais de Alarme - pelo Espírito Scheilla.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011














Há dez sinais vermelhos, no caminho da experiência, indicando queda provável na obsessão: quando entramos na faixa da impaciência;






quando acreditamos que a nossa dor é a maior;



quando passamos a ver ingratidão nos amigos;



quando imaginamos maldade nas atitudes dos companheiros;



quando comentamos o lado menos feliz dessa ou daquela pessoa;



quando reclamamos apreço e reconhecimento;



quando supomos que o nosso trabalho está sendo excessivo;



quando passamos o dia a exigir esforço alheio, sem prestar o mais leve serviço;



quando pretendemos fugir de nós mesmos, através do álcool ou do entorpecente;



quando julgamos que o dever é apenas dos outros.



Toda vez que um desses sinais venha a surgir no trânsito de nossas idéias, a Lei Divina está presente, recomendando-nos a prudência de amparar-nos no socorro da prece ou na luz do discernimento.



Vieira, Waldo; Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Ideal Espírita.

Ditado pelo Espírito Scheilla.

Olhe pra trás e veja o caminho percorrido, a experiência acumulada, a competência adquirida! - Luis Carlos Mazzini

quinta-feira, 22 de setembro de 2011








Fique firme e não desista nunca!

Nunca despreze uma chance, uma oportunidade, uma amizade, um sorriso. Mas para isso terá que ter um coração aberto, generoso e uma mente esperta.
Jamais desista de seus sonhos, de seus projetos, dos objetivos e metas por menores que possam aparentar ou representar! E por favor, continue dando o melhor de si vivendo como se estivesse no melhor dos mundos! Afinal a viagem é curta e única, certo?

E se até na música tem a grande lição dizendo que "o acaso vai te proteger", não é justo fazer a sua parte acreditando, lutando, seguindo em frente? Aliás, siga em frente sempre porque tem um Deus que te protege sempre e tem tudo sob seu controle, viu? Acreditando ou não Ele está bem aí no centro do seu coração e é seu grande Parceiro!

Nunca esqueça que você veio sem nada para esse mundo! E deve ir embora também sem nada, viu? Então perceba logo quanta coisa boa conquistou até agora. Olhe pra trás e veja o caminho percorrido, a experiência acumulada, a competência adquirida!

Como foi bom chegar até aqui e ter a consciência dos desafios superados e vencidos, né? Que bom poder colher o que foi semeado!

Procure sempre pela força, pela esperança, pela coragem, pelo entusiasmo, pelo equilíbrio, pela tolerância e pelo bom humor!

Agora é com você, tá? Força! Coragem! Cuide bem de você, essa pessoinha incrível e maravilhosa!

Bom Dia! Bom Divertimento! Seja especial em tudo!

“Quanto mais as coisas parecerem piores é que você não deve desistir. É nesse ponto que você está fortalecido exatamente por estar sendo testado.

Luis Carlos Mazzini

Missionários da Luz - Chico Xavier - André Luiz - audio Livro









Missionários da Luz
http://www.4shared.com/file/_R1E_Zp0/Missionrios_da_Luz-Chico_Xavie.html

Suiícidio e suas Consequências - Gerson Simões Monteiro

segunda-feira, 19 de setembro de 2011












"Suicídio e suas Conseqüências" é um livro de ensinamentos e reflexões que apresenta relatos de suicidas extraídos das obras de Allan Kardec e Chico Xavier, diz como resistir às idéias de suicídio, suas conseqüências no mundo espiritual e muitas outras questões focalizadas pelo autor, inclusive uma prece sugerida por Allan Kardec.




Barbara Ann Brennan - Mãos de Luz










Prefácio


Esta é uma nova era e, parafraseando Shakespeare, “Há mais coisas, entre o Céu e a Terra, que o homem desconhece”. Este livro se dirige aos que estão procurando a autocompreensão dos seus processos físicos e emocionais, que extrapolam a estrutura da medicina clássica. Concentra-se na arte de curar por meios físicos e metafísicos. Abre novas dimensões para compreender os conceitos de identidade psicossomática, que nos foram apresentados, pela primeira vez, por Wilhelm Reich, Walter Canon, Franz Alexander, Flanders Dunbar, Burr, Northrup e
muitos outros pesquisadores do campo da psicossomática.
Seu conteúdo trata de definir experiências de tratamento e cura da história das investigações científicas no campo da energia humana e da cura. O livro é único porque liga a psicodinâmica ao campo da energia humana. Descreve as variações do campo de energia na medida em que ele se relaciona com as funções da
personalidade.
A última parte do livro define as causas da doença baseadas nos conceitos metafísicos, que são, em seguida, ligados às perturbações da aura. O leitor também encontrará aqui uma descrição da natureza da cura espiritual na proporção em que ela se relaciona com o curador e com o assunto.
O livro foi escrito com base nas experiências subjetivas da autora, que estudou física e fisioterapia. A combinação do conhecimento objetivo com as experiências subjetivas forma um método único de expansão da consciência para além dos confins do conhecimento objetivo.
Àqueles que estão abertos a um enfoque dessa natureza, o livro oferece um material riquíssimo, que se pode aprender, experimentar e com o qual também é possível fazer experiências. Àqueles que têm objeções de peso eu recomendaria que abrissem suas mentes para a pergunta: “Há uma possibilidade de existência para essa nova perspectiva, que se estende além da lógica e da experimentação científica objetiva?” Recomendo este livro com instância aos que se emocionam com o fenômeno da vida nos níveis físico e metafísico. o trabalho de muitos anos de esforço dedicado e representa a evolução da personalidade da autora e o
desenvolvimento os seus dons especiais de cura. O leitor estará ingressando num domínio fascinante, cheio de maravilhas.

A Sra. Brennan merece louvores por sua coragem em trazer a público suas
experiências subjetivas e objetivas.
Dr. John Pierrakos,
Instituto de Energética do NÚCLEO,
Cidade de Nova York

O PASSE

domingo, 18 de setembro de 2011


Jesus costumava curar usando a imposição das mãos.
Os médiuns espíritas, como seguidores de Jesus, repetem este gesto na transmissão do passe, uma prática que faz parte do dia-a-dia das casas espíritas.
O passe é possível porque todos nós irradiamos fluidos para fora dos limites do corpo físico.
Os fluidos são uma espécie de matéria muito leve, que nossos sentidos físicos não percebem, mas que tem grande importância em nossas vidas.

No momento do passe, os fluidos do médium aplicador de passes se combinam com os fluidos dos Espíritos desencarnados, e esta combinação de fluidos passa para o receptor, gerando alívio para o sofrimento físico ou espiritual.
Apesar do uso das mãos, não são elas que põem e tiram fluidos. O comando vem do pensamento e da vontade, que significa que se eu tiver a intenção sincera de transmitir fluidos, eles serão transmitidos, mesmo que minhas mãos estejam fazendo outra coisa.


Quem recebe o passe pode fazer com que seu efeito dure mais ou menos, dependendo de seus pensamentos. Se quiser continuar a se sentir bem por muito tempo, experimente manter a harmonia interior, através de pensamentos de bondade, paciência, carinho, respeito e compreensão.
Afinal, os Espíritos podem nos ajudar, mas nós é que somos donos de nossa casa interior e dos pensamentos que nela acolhemos. 


SUGESTÃO DE ATIVIDADE: Antes do passe... depois do passe.

Ilustrações de William Jones Jr. para o livro VOCÊ E O PASSE, Ed. Eldorado-EME.


Criação e Design: Rita Foelker

Filosofia Espírita para Crianças Uma proposta pedagógica Por Rita Foelker



 

RESUMO DOS OBJETIVOS E MEIOS

 

1. O que é Filosofia Espírita para Crianças?

A Filosofia Espírita, às vezes, é encarada como o conjunto das crenças espíritas a respeito do Universo e do ser humano. Porém, fazer filosofia na prática , ou seja, praticar um ensino filosófico, não é simplesmente transmitir princípios da crença espírita. É analisar estes princípios, questioná-los, buscar compreender melhor o seu significado e as suas conseqüências, especialmente as de ordem moral e ética.
Não se aceitam idéias como verdadeiras por imposição, mas sabendo porque as aceitamos. Esta é a essência da atitude filosófica: compreender o sentido e as conseqüências da realidade.
As crianças são filósofas espontâneas. Não precisamos lhes impingir um olhar admirado e curioso perante a vida, porque querem, com entusiasmo, saber o que são as coisas e porque elas são assim e não de outro jeito.
Filosofia Espírita para Crianças é uma proposta pedagógica que pretende ajudar crianças e jovens nesta sua busca natural, agregando um método de trabalho que, sem tirar a naturalidade e espontaneidade do processo investigativo, resulte na produção de conhecimento com significado e em bases racionais.

2. Para que serve a Filosofia Espírita para Crianças?

O objetivo desta proposta pedagógica é auxiliar crianças e jovens a encontrar, ao filosofar, a explicação racional que sustente suas ações morais e resulte em melhoria e manutenção de uma atitude mais positiva e construtiva perante a vida.
A explicação racional se obtém ampliando o conhecimento e raciocinando sobre os princípios do Espiritismo, compreendendo seu significado e os desdobramentos práticos de cada um em nossa vida espiritual, pessoal e social.

Princípios do Espiritismo 
Os princípios do Espiritismo são conceitos que formam a estrutura básica do pensamento espírita. São eles:
  1. Deus,
  2. espírito e matéria (os elementos da criação),
  3. imortalidade,
  4. reencarnação,
  5. progressão dos Espíritos (evolução),
  6. livre-arbítrio,
  7. causa e efeito,
  8. fluidos,
  9. perispírito,
  10. mediunidade,
  11. pluralidade dos mundos habitados,
  12. Espíritos em erraticidade,
  13. influência dos Espíritos na nossa vida e
  14. influência dos Espíritos na Natureza.
São idéias que, uma vez modificadas ou descaracterizadas, descaracterizam a própria Doutrina, o que nos leva a relacioná-las à própria identidade do Espiritismo, enquanto filosofia.
Os princípios do Espiritismo formam uma rede de inter-relações que compõem, para aquele que os conhece, uma sólida base filosófica e ética.
Para quem é espírita ou não, o conhecimento dos princípios torna possível raciocinar e entender a vida através de uma visão racional, gerando resultados práticos nas mais diferentes situações. A sua compreensão aprofundada melhora nossa capacidade de reflexão, ajuda no exercício do diálogo interior e na manutenção de maior segurança e harmonia.
É imprescindível que o educador espírita se torne um estudioso da Doutrina, a fim de conseguir percebe-los na dinâmica da existência, de poder falar sobre eles com desenvoltura e participar da construção de raciocínios pertinentes a seu respeito.
Valores
A manutenção de atitudes positivas e construtivas perante a vida só é possível quando nossas escolhas são norteadas por valores verdadeiros e perenes.
Os valores considerados fundamentais para uma vida digna e feliz, voltada à evolução do Ser espiritual, levando em conta sua participação na vida social e planetária, são, segundo a Filosofia Espírita para Crianças:
  • Autoconhecimento - Os temas serão sempre estudados de a partir da perspectiva do educando e de acordo com a sua necessidade e observação. Os questionamentos o encaminharão para dentro de si mesmo, conhecendo seu pensar e o seu sentir a respeito deles.
  • Autenticidade - Ao contrário da educação repressiva que conduz à hipocrisia, o diálogo prezará a autenticidade, incentivando à legítima expressão por parte de todos os envolvidos, daquilo que pensam e sentem. A autenticidade será também valorizada diante de todas as demais situações da vida.
  • Auto-responsabilidade - O estudo buscará possibilitar a compreensão clara da nossa responsabilidade exclusiva pela nossa própria felicidade e infelicidade, assim como da responsabilidade de cada um como agente modificador do meio em que se encontra.
  • - Todos os temas levarão em conta a ordem superior representada pelas leis naturais que governam o Universo e os atributos de Deus, perfeito, soberanamente justo e bom.
  • Amor - Em todas as oportunidades serão incentivados os sentimentos de amizade e amor no grupo, através do respeito e da aceitação, do desejo do bem em relação a todos. Por extensão, exercitaremos o amor ao próximo e à Natureza.
O importante é impregnar nossa conduta e nossa prática nestes valores, de modo que eles se tornem o próprio jeito do educador ser e se comportar. Apenas compartilhando e vivenciando estes ideais, podemos compreender seu sentido e suas conseqüências.

3. Como funciona a Filosofia Espírita para Crianças?

Basicamente, a Filosofia Espírita para Crianças cria um espaço para a aprendizagem significativa, para o aprofundamento nos conceitos espíritas básicos e a percepção de suas relações com a vida prática. As características da investigação filosófica que realizamos são as seguintes:
  • Cultivo das habilidades do pensamento
  • Busca de sentidos da realidade e percepção das conseqüências
  • Liberdade de questionamento
  • Comunicação fluente e participação ativa
  • Relação teoria/prática
  • Respeito a todos os pensamentos e opiniões
Além delas, é importante compreender os processos presentes nessa investigação:
Experimentar/Vivenciar
A prática do ensino filosófico está vinculada a um grau possível de experiência dos temas estudados, a fim de gerar reflexões e ensejar transformações interiores.
Parte-se então de um exemplo prático do cotidiano do educando, ou da Natureza, ou de uma atividade vivencial. Essa atividade não apenas fará pensar, mas olhar para si mesmo, avaliar as próprias escolhas e modos de pensar e sentir, enfim, interagir com o tema em estudo.
Ao educador cabe encontrar estratégias que levem os educandos a experimentar os conceitos abordados em profundidade.
Dialogar/Interagir
Em lugar do monólogo, onde um apenas ensina e os demais aprendem, pratica-se o diálogo.
E o que é o diálogo? É uma relação horizontal de A com B. Nasce de uma matriz crítica e gera criticidade (Jaspers). Nutre-se de amor, de humanidade, de esperança, de fé, de confiança. Por isso, somente o diálogo comunica. E quando dois pólos do diálogo seligam assim, com amor, com esperança, com fé no próximo, se fazem críticos na procura de algo e se produz uma relação de "empatia" entre ambos. Só ali há comunicação.
(...) É no diálogo que nos opomos ao antidiálogo tão entranhado em nossa formação histórico-cultural, tão presente e, ao mesmo tempo, tão antagônico ao clima da transição. O antidiálogo, que implica numa relação de A sobre B, é o oposto a tudo isso. É desamoroso. Não é humilde. Não é esperançoso; arrogante, auto-suficiente. Quebra-se aquela relação de "empatia" entre seus pólos, que caracteriza o diálogo. Por tudo isso, o antidiálogo não comunica. Faz comunicados.

Precisávamos de uma pedagogia da comunicação com a qual pudéssemos vencer o desamor do antidiálogo.
O método dialógico leva os alunos a pensar sobre o significado de suas palavras e sobre as conseqüências de seus pensamentos, vivenciando os conceitos na prática em lugar de apenas aprender a "falar sobre" eles.
Pensentir
Pensar é um ato. Sentir é um fato. Clarice Lispector.
"Pensentir" é uma destas palavras que surgem para significar uma idéia que ainda não se conseguia expressar.
Ela nasceu nos diálogos do Grupo de Filosofia Espírita para Crianças, como uma necessidade para falar do que buscávamos no ensino filosófico que nos propúnhamos a desenvolver: pensentir os conceitos.
Não só pensar e raciocinar, não só sentir e vivenciar, mas fazer tudo ao mesmo tempo!
Em nossa sociedade, ciência e intelectualidade são altamente valorizadas. Nossas escolas (e mesmo alguns ambientes espíritas) estão lotadas deste saber "científico, intelectual" que, embora tenha seu valor num contexto mais amplo, quando está sozinho, não ajuda a pessoa a conhecer a si mesma e a se transformar.
Quase não se vê esforço consciente de aprender sobre o sentir. Fala-se da necessidade de ser caridoso, mas pouco se fala de sentimentos presentes e emoções reais.
As pessoas agem motivadas por emoções e sentimentos. Por isso, ao analisar questões e situações morais usando apenas a razão, teremos apenas uma visão parcial das mesmas. Não dá para conversar sobre transformação interior sem falar no pensar/sentir/PENSENTIR.

VIDEO CLIPE - SIM PARA O AMOR - PLINIO OLIVEIRA






Sim Para O Amor

http://www.4shared.com/file/8WZ9dLof/video-simproamor.html





Videoclipe
Música: Silvia
Plinio Oliveira
A história de uma mãe, que apesar das circunstâncias, se negou a abortar seu primeiro filho.

O vestidinho vermelho - Wellington Balbo

sábado, 17 de setembro de 2011
















Isabela era uma menina de 11 anos, muito bonita, esperta e vaidosa. Como toda mocinha de sua idade apreciava arrumar os cabelos, passar batom e usar roupas novas.
Na escola que Isabela estudava ela conhecia Letícia, Juliana e Carmem, além de Marthinha.
Letícia, Juliana, Carmem e Isabela eram muito amigas e não se desgrudavam. Já Marthinha não se enturmava com nenhuma delas. Era até um pouco diferente e sempre estava com um surrado vestidinho vermelho.
As amigas comentavam com Isabela às gargalhadas:
 - A Marthinha parece que tem apenas essa roupa. Ela não a tira do corpo. Menina muito estranha essa.
Isabela nada dizia às amigas. Apenas escutava. Mas ficou curiosa para saber um pouco mais sobre Marthinha. Por qual razão vestia a mesma roupa quase que todos os dias. Será que gostava tanto assim do vestidinho vermelho?
Decidiu perguntar à sua mãe:
 - Mamãe, tenho uma colega de classe que não faz amizade com ninguém. Está todos os dias com um vestido vermelho. As meninas zombam dela e a acham muito estranha.
Sabiamente a mãe de Isabela aconselhou-a:
 - Ora, minha filha, não julgue uma pessoa pelo seu vestido vermelho. Aproxime-se dela, afinal, se ela não vem até você, dê o primeiro passo e vá até ela. quem sabe daí surge uma grande amizade.
Isabela ouviu sua mãe e resolveu aproximar-se de Marthinha.
Para surpresa de Isabela Marthinha aceitou com muita alegria a aproximação.
Ficaram muito amigas. Quase carne e unha.
Isabela ficou sabendo da difícil situação financeira dos pais de Marthinha e de sua irmã mais nova que tinha sérios problemas desaúde.
Percebeu o errado julgamento que fizeram.
Mas Juliana, Letícia e Carmem estranharam a aproximação de Isabela com Marthinha.
Curiosas, decidiram perguntar:
 - Por que você se aproximou da garota do vestidinho vermelho, Isabela? Ela é muito esquisita.
Isabela disse:
 - Vocês dizem isso por que não conhecem a situação da Marthinha. Deviam conhecer e se aproximar dela para ajudar ao invés de criticar suas roupas. Seus pais trabalham muito para poder sustentar ela e a irmã que tem sérios problemas de saúde, por isso não podem dar à ela roupas novas e bonitas como nossos pais. Conversei com minha mãe e ela me disse que isso não faz da Marthinha alguém inferior ou esquisita. A verdadeira beleza é aquela que vem de dentro, do coração. E essa beleza Marthinha possui, pois é uma amiga muito leal e sincera.
As amigas de Isabela então ficaram a pensar nos comentários que faziam do vestido vermelho e surrado da colega de classe. Envergonharam-se por falar de Marthinha e sua roupa.
 
Arrependeram-se e prometeram a Isabela que iriam modificar a atitude e se aproximar da colega.

Afinal, não é o vestido que faz a pessoa, mas sim suas atitudes.

Zibia Gasparetto - 29 obras espiritas














Link para download:


Curso de preparação para Evangelizar















http://www.ziddu.com/download/15268267/CursodePreparaoParaEvangelizarCVDEE.pdf.html

Nunca mais permita que o desânimo estrague a sua vida - Luis Carlos Mazzini








Deixe viver por inteiro o ser inteiro que você é! Chega de levar uma vida pela metade! Chega de se contentar com migalhas!

Acorde, vamos! Viva já a sua vida plenamente! Ela é sua por direito de herança porque você merece! Você é filho de Deus, pô!

Nada tema porque bem aí dentro de si existe toda a sabedoria, todo o poder, toda a força e toda a compreensão, viu?

Nunca mais se deixe derrotar em situação alguma! Você é muita coisa boa! Você vale muito! Vale ouro! Erga a cabeça! Vamos! Lute!

Dê de presente pra você mesmo todas as chances que precisar. Você pode recomeçar agora! Pode recomeçar sempre! Lembre-se que a pior derrota é a de quem desanima, tá? Nunca mais permita que o desânimo estrague a sua vida!

E pare de se esconder atrás de você mesmo. Eleve seus pensamentos! Cuide da sua essência! Cuide do que é importante e prioritário para o seu bem estar e para a sua felicidade.

Seja mais sorridente, mais amoroso. Seja mais você!

Bom Dia!! Bom Divertimento! Fique com Deus!

"Seja corajoso sempre! A vitória sempre acontece somente para aquele que não para no meio do caminho"

Luis Carlos Mazzini

Se Você Acredita, Parece Verdade - Trecho do Livro "Você Pode Curar Sua Vida", Louise L. Hay











Quantas vezes já dissemos: "Eu sou assim mesmo" ou "É, as coisas são assim". Essas frases na realidade estão dizendo que isso é o que acreditamos como verdade para nós, e geralmente aquilo em que acreditamos não passa da opinião de outra pessoa que incorporamos no nosso sistema de crenças. Sem dúvida, ele se ajusta a todas as outras coisas em que cremos.
Você é uma dessas pessoas que acordam numa certa manhã, vêem que está chovendo e dizem: "Que dia miserável?”
Não é um dia miserável. É apenas um dia molhado. Se usarmos as roupas apropriadas e mudarmos nossa atitude, podemos nos divertir bastante num dia chuvoso. Agora, se nossa crença for a de que dias de chuva são miseráveis, sempre receberemos a chuva de mau humor. Lutaremos contra o dia em vez de acompanharmos o fluxo do que está acontecendo no momento.
Não existe "bom" ou "mau" tempo, existe somente o clima e nossas reações individuais a ele.
Se quisermos uma vida alegre, precisamos ter pensamentos alegres. Se quisermos uma vida próspera, precisamos ter pensamentos de prosperidade. Se quisermos uma vida com amor, precisamos ter pensamentos de amor. Tudo o que enviamos para o exterior, mental ou verbalmente, voltará a nós numa forma igual.

Trecho do Livro "Você Pode Curar Sua Vida", Louise L. Hay

A Culpa o Faz Se Sentir Inferior - Trecho do Livro "O PODER DENTRO DE VOCÊ", Louise Hay









Muitas vezes as pessoas lhe dão mensagens negativas, pois essa é a forma mais fácil de manipulá-lo. Se alguém está tentando conseguir alguma coisa procurando fazê-lo se sentir culpado, pergunte-se: “O que ele quer? Por que está agindo assim?” O simples fato de fazer essa indagação a você mesmo o impede de aceitar silenciosamente as pressões, como se estivesse dizendo: “Sim, sou culpado, devo fazer o que ele manda”.

Muitos pais manipulam os filhos utilizando-se da culpa apenas porque foram criados assim e não sabem agir de outra forma. Contam até mentiras às crianças só para elas terem menos vontade própria e serem mais fáceis de educar. Ao se tornar adulta, essa criança continua sendo manipulada por parentes ou amigos, pois não desenvolveu seu auto-respeito.

Muitas pessoas vivem sob uma nuvem de culpa, sentem-se eternamente erradas, incapazes de darem um passo certo e não param de se desculpar. São pessoas que não se perdoam por algo que fizeram no passado, que se menosprezam pelas coisas desagradáveis que acontecem em sua vida. Se você é desse tipo, aprenda a dizer não e a chamar a atenção daqueles que estão tentando usar seu sentimento de culpa para lhe pedir alguma bobagem. Veja bem, não estou dizendo que deva ser grosseiro ao não aceitar o jogo dos outros; treine para falar com toda a simplicidade: “Não, não posso fazer o que você quer”. Não se desculpe, ou estará dando ao manipulador a munição de que ele precisa para forçá-lo a abandonar sua decisão. Seja incisivo e explique por que acha que a ordem que lhe foi dada não é correta. Quando as pessoas perceberem que manipulá-lo é algo que não vai mais dar resultado, pararão de tentar. Lembre-se de que os outros só serão capazes de controlá-lo se você permitir. É até possível que você venha a sentir-se culpado nas primeiras vezes em que disser não, mas tenha em mente que negar em favor de si mesmo é algo que vai ficando cada vez mais fácil com a prática.

Uma aluna minha deu à luz um menino com uma doença cardíaca congênita. Ela sentia-se culpada porque acreditava que havia feito algo de errado durante a gravidez. Infelizmente, a culpa não conserta nada e só causa tristeza e aflição. Fiz essamulher ver que ninguém era responsável pela enfermidade. Antes de encarnar neste mundo, a alma de seu filho escolhera essa experiência com o objetivo de extrair ensinamentos para ele mesmo e para sua mãe. Meu conselho foi que ela deveria amar muito o bebê, amar muito a si mesma e parar de se culpar por algo que estava fora de sua alçada, criando em torno dela e do filho um ambiente tranquilo e amoroso que possibilitaria uma futura cura.

Se você fez algo que lamenta, pare imediatamente de se culpar. Se se sente culpado por algo que fez no passado, perdoe-se. Se for possível remediar o erro, não hesite em tomar as medidas necessárias para saná-lo e evite repetir a ação. Sempre que a culpa surgir em sua mente, pergunte-se: “No que ainda acredito sobre mim mesmo?”, “A quem estou tentando agradar?” Em seguida, preste atenção às crenças da infância que vão emergindo.

Agora vamos a uma palavrinha sobre acidentes de automóvel. Em geral, as pessoas que sofrem acidentes abrigam dentro de si um sentimento de culpa em um nível muito profundo e têm uma grande necessidade de punição. Sentem que não têm o direito de se defender porque merecem castigo e, então, se tornam seu próprio juiz, júri e executor. Se você está constantemente se envolvendo em acidentes, analise-se e lembre-se de que chegou a hora de você se perdoar e assim se libertar da culpa.

Uma senhora idosa que assistiu a um de meus seminários procurou-me para contar que sentia uma culpa enorme em relação ao seu filho de meia-idade. Filho único, ele se sentia um homem totalmente retraído. A mãe culpava-se por ter sido muita rígida em sua educação, o que em sua opinião, o levara a essa condição. Expliquei a ela que fizera o melhor possível com o conhecimento e percepção que tinha na época e que o filho a escolhera como mãe antes de encarnar nesta vida. Portanto, em um nível espiritual, ele sempre soubera o que estava fazendo. Fiz com que visse também que, ao se culpar, estava desperdiçando energia com algo que não era capaz de mudar, e aconselhei-a a dizer cada vez que sentisse emergir o sentimento de culpa: “Não, não quero sentir isso. Estou disposta a aprender a me amar. Aceito meu filho exatamente como ele é”. A lição é sempre amar a si mesmo. Mesmo que não saibamos como nos amar, o simples fato de estarmos dispostos a isso já produz uma diferença. No caso dessa senhora, o que precisava era aprender a amar a si mesma, e não esforçar-se para curar o filho. Creio firmemente que cada um de nós veio a esta vida para se amar pelo que é. Uma mãe, por mais carinhosa que seja, não pode fazer isso pelo filho.

As religiões organizadas frequentemente são ótimas para fazer as pessoas se sentirem culpadas. Muitas delas chegam ao exagero a fim de manter seus fieis na linha desejada, especialmente quando eles são muito jovens. Contudo, um adulto há muito deixou de ser criança e não tem por que ser mantido em uma determinada linha. Ele é capaz de decidir em que deseja acreditar. Sem dúvida, quando toma uma atitude diferente da que foi imposta por sua religião, a criança que existe nele se sentirá culpada. Todavia, cabe ao adulto mostrar à criança que existe em qualquer pessoa que não há motivos justos para ela se sentir assim.

Quando você sufoca suas emoções cria um caos interior. Ame-se o suficiente para se permitir dar vazão às suas emoções. Deixe que seus sentimentos venham à tona. É possível que você venha a se surpreender chorando muito ou se enraivecendo, de uma maneira que lhe pareça exagerada. Além disso, é bem provável que você tenha de processar muita coisa velha acumulada em seu interior. Aconselho-o a fazer afirmações que o ajudarão a tornar esse processo mais fácil, mais suave e mais confortável, como:

Eu agora libero com facilidade todas as crenças negativas.

É agradável para mim mudar.

Meu caminho agora está se tornando suave.

Estou livre do passado.


Ao fazer essas afirmações, não julgue os sentimentos que forem emergindo, o que só servirá para empurrá-los ainda mais para o fundo. Se você está enfrentando um terrível dilema ou atravessando uma crise, repita constantemente as frases acima e afirme também que está em perfeita segurança e disposto a sentir suas emoções.

O extravasamento de seus sentimentos por intermédio das afirmações positivas trará mudanças benéficas a sua vida.

(Trecho do Livro "O PODER DENTRO DE VOCÊ", Louise Hay)

A graça da Cura - Magnetismo Curativo







"Então designou os doze... "Com poder de curar enfermidades e expulsar demônios." "Imporão a mão sobre os enfermos e os curarão".

Mc: 3:14,15 - 16:18

"Designou outros setenta, que regressaram com alegria, dizendo: Senhor, em teu, nome até os demônios se submetem a nós."

Lc:10: 1-17



Jesus designou discípulos para curar doentes, afastar espíritos endemoniados e orientar a todos sobre a verdade da vida espiritual.

Os doze primeiro e os outros setenta admiravam-se dos fenômenos espirituais que provocavam, sem entender como se realizavam, e referindo-os ao Mestre, jubilosos, ouviram-lhes as ponderações sobre a prudência com que se deveriam comportar e que não se surpreendessem, porque mais convinha agradecer a Deus e, a seguir, a observação final: "alegrai-vos não porque os espíritos se vos submetem, mas porque os vossos nomes estão escritos nos céus." (Lc. 10:20).

Como observa Kardec no Livro dos Médiuns, há

"pessoas que possuem o dom de curar pelo simples toque, pelo olhar, mesmo por um gesto, sem o concurso de qualquer medicação. Dir-se-á, sem dúvida, que isso mais não é do que magnetismo. Evidentemente, o fluido magnético desempenha aí importante papel, porém, quem examina cuidadosamente o fenômeno, sem dificuldade, reconhece que há mais alguma coisa. A magnetização é um verdadeiro tratamento seguido, regular e metódico... Nos médiuns curadores a faculdade é espontânea e alguns a possuem sem jamais terem ouvido falar de magnetismo. A intervenção de uma potência oculta se faz manifesta. As pessoas que podem, com razão, ser qualificadas de médiuns curadores, recorrem à prece, que é uma verdadeira evocação." (M.M. 175).

"O espírito atuante é o do magnetizador, quase sempre assistido por outro Espírito. Ele opera uma transmutação por meio do fluido magnético."

"Desde que ele pode operar uma modificação nas propriedades da água, pode também produzir um fenômeno análogo com os fluidos do organismo, donde o efeito curativo da ação magnética, convenientemente dirigida.

Jesus escolheu os discípulos pelas faculdades mediúnicas que eles possuíam e, obviamente, porque também tinham virtudes espirituais que o Mestre identificou pela sua extraordinária clarividência.

Os Apóstolos e os Setenta Discípulos de Jesus foram orientados de que deveriam impor as mãos sobre os doentes, para transmitir-lhes o fluido magnético, com prévia invocação da Ajuda de Deus, que se verifica, como o Espiritismo prova, através dos Bons Espíritos, sempre dispostos a intervir em Nome de Deus, em nosso favor.

Assim, a Doutrina dos Espíritos explica as curas que se viram na Galiléia, pela imposição das Abençoadas Mãos de Jesus e as dos seus discípulos, assim como as que ocorreram em Antioquia, na Ásia, e na Grécia, pela intervenção de Paulo e de seus seguidores e depois pelos Santos da Igreja Católica, episódios até então chamados de milagres.

Kardec, no Livro "A Gênesis", questiona:
"Deus faz milagres?"
E respondendo à tal indagação, ele argumenta:
"Nada é impossível a Deus, mas Ele os tem feito? Ele derroga as Suas próprias leis?
E argumenta:
"O poder de Deus não se manifesta de maneira muito mais potente, pelo conjunto grandioso das obras da criação, pela sabedoria previdente que a preside nas suas partes mais íntimas, bem como nas maiores? Pela harmonia das leis que regem o Universo? Não é isso superior a algumas derrogações... que se Lhe atribuem?"

A expressão "milagre", oriunda do latim - mirari - significa coisa admirável, extraordinária, surpreendente.

A Academia Francesa, ao tempo de Karkec, definiu o milagre como "ato do poder divino, contrário às leis conhecidas da natureza". Entretanto, pela explicação da Doutrina dos Espíritos, acerca da incidência das leis do magnetismo, que não eram conhecidas pelos que atribuíram a cura espiritual à qualificação de milagres, isto é, ato contrário às leis na natureza, tais fenômenos obedecem à Lei de Deus.

O Espiritismo não faz milagres.

Os fenômenos autênticos, tidos como milagres, decorrem da intervenção dos Espíritos.

Diz Kardec - A Gênesis - "O Espírito nada mais é senão a alma que sobreviveu ao corpo; é o ser principal, pois não morre, e produz os fenômenos espíritas, que não saem mais da ordem das leis naturais que os fenômenos elétricos, acústicos, luminosos e outros, que foram a fonte de uma quantidade de crenças supersticiosas."

Jesus testificava que a cura poderia ocorrer pela invocação da ajuda de Deus, com a imposição das mãos.

No episódio a que se refere Lucas (13:13) encontramos a descrição da cura magnética. Tratava-se de uma mulher que há alguns anos, "possessa de um espírito de enfermidade... andava encurvada", entendendo-se, pela referência bíblica, que a causa daquele desconforto era espiritual, e que não se tratava de doença congênita, ou da denegação óssea resultante de osteoporose.

"Na Sinagoga, ao vê-la, Jesus a chama, impôs as mãos sobre ela e imediatamente ela se endireitou e dava glória a Deus."

Referindo-se a tais fatos, observou Jesus:
"O que Eu faço, vós podeis também fazer".
Como refere João, Seu dileto discípulo:
"Na verdade, na verdade vos digo, aquele que crê em mim também fará as obras que Eu faço, e as fará maiores." (Jo. 14:12).

"E tudo o que pedirdes na oração, crendo, o recebereis."


Walter de Moraes Fortes


Mediunidade - Edgar Armond






Mediunidade:
http://www.ziddu.com/download/15144981/EdgardArmond_Mediunidade.doc.html

Tristeza - Monja Coen

sexta-feira, 16 de setembro de 2011




Tristeza

Qual é o significado da tristeza e como lidar com ela?
Na tristeza ficamos tristes.
Quando perdemos alguém.
Quando perdemos.
Quando as coisas não são como queríamos que fossem.
Quando as pessoas não são como queríamos que fossem.
Quando o mundo e a realidade não são o que queríamos que fossem.
Quando não somos o que gostaríamos de ser.
Quando não temos o que gostaríamos de ter.


Porém,
se nos lembrarmos
que as coisas são como são
que as pessos são como são
que nós, o mundo e a relidade são o que são
e que podemos apreciar o que temos invés de lamentar o que não temos,
começamos a entrar no mundo da não dualidade.

Se houver sabedoria e compaixão perceberemos que a tristeza, mesmo profunda, é passageira.
Perceberemos que se as coisas, as pessoas, o mundo, a realidade e nós mesmos estamos num processo contínuo de transformação
Então poderemos pensar em nos tornarmos essa transformação que queremos no mundo.
Para que haja menos tristeza, mais alegria, mais compartilhamento e harmonia.

O  contentamento com a existência é um dos ensinamentos principais de Buda:

"a pessoa que conhece o contentamento é feliz, mesmo dormindo no chão duro; a pessoa que não conhece o contentamento é infeliz mesmo num palácio celestial."


Então, quando sentimos tristeza, observamos a tristeza.
Como está nossa respiração?  Como estão os batimentos cardíacos?  Como está a nossa postura?  Que pensamentos são esses que me fazem deixar os ombros cair para frente, baixar a cabeça e, quem sabe, chorar?
Como se formam as lágrimas?
E, mesmo em meio a lágrimas, podemos sorrir e perceber que enquanto vivas criaturas temos esta experiência extraordinária e bela de poder ficar triste.
Tristeza que vem.
Tristeza que vai.
E sem se apegar a coisa alguma e sem sentir aversão a coisa alguma descobrimos o verdadeiro sentido da vida.
É assim que trabalhamos a tristeza.
Zazen - sentar-se em zen e observar a si mesma.
Postura correta, alongamento da coluna vertebral, abrir o diafragma e respirar profundamente.  Inspiração mais curta, expiração mais longa.  Saboreando o ar.  Ombros alinhados e retos, postura de Buda.
Ensinamentos de sabedoria nos auxiliam a sair da toca, do casulo de separatividade que falsamente criamos e de nos lembrarmos que sempre há pessoas e situações piores do que a nossa, sempre há pessoas e situações melhores do que a nossa e nunca, nunca, perder a dignidade.
Tristeza boa é da saudade de alguém que logo poderemos rever.
Tristeza ruim é aquela que náo queremos deixar passar.  Aquela na qual nos agarramos, pois nos dá uma identidade, nos torna especiais.  Especialmente tristes. Comoventes, Vítimas a serem apiedadas e cuidadas.  Ah!  Quanta carência.

Abandonar a tristeza é abrir as mãos, o coração, a mente para a emoção seguinte. 
É lavar o rosto, olhar para a imensidão do céu, da Terra, do mar e perceber a pequenês da nossa vida.

Sem culpa e sem culpar ninguém.

Sinta a tristeza, reconheça, respire a tristeza e a deixe passar.

Mãos em prece
Monja Coen

ESTUDO SOBRE PASSE










 CURSO DE PASSES
WALDIR SILVA


ÍNDICE

CAPITULO 1 = ESTUDO SOBRE PASSE 3
CAPITULO 2 = SURGIMENTO DO PASSE 4
CAPITULO 3 = PLEXOS - CHAKRAS - CENTROS DE FORÇA - AURA 6
CAPITULO 4 = REQUISITOS PARA O BOM PASSISTA 18
CAPITULO 5 = PASSE 23
CAPITULO 6 = TIPOS DE PASSES 24
CAPITULO 7 = ONDE DAR O PASSE? 26
CAPITULO 8 = COMO APLICAR O PASSE 27
CAPITULO 9 = QUANDO APLICAR O PASSE? 30
CAPITULO 10 = POR QUE APLICAR PASSE? 31
CAPITULO 11 = POR QUE RECEBER O PASSE? 32
CAPITULO 12 = QUANDO RECEBER O PASSE 33
CAPITULO 13 = COMO RECEBER O PASSE 34
CAPITULO 14 = PRINCIPAIS MODALIDADES DE PASSE 35
CAPITULO 15 = EFEITOS DO PASSE 40
CAPITULO 16 = A CURA PRÓPRIA 42
CAPITULO 17 = FORAM CONSULTADAS AS SEGUINTES OBRAS 43

1


       I. INTRODUÇÃO
       “Ele tomou sobre si as nossas enfermidades e levou nossas doenças.” (Mateus, 8:17)

       O PASSE

       Meu amigo, o passe é transfusão de energias físio-psíquicas, operação de boa vontade, dentro da qual o companheiro do bem cede de si mesmo em teu benefício.....


Link para download:

Como dialogar com seu Anjo Protetor ou Anjo da Guarda - Divaldo Franco

 




DIMENSÃO DO TER E DO SER - RAUL TEIXEIRA - MP3

quinta-feira, 15 de setembro de 2011





DIMENSÃO DO TER E DO SER - RAUL TEIXEIRA.MP3 | MPEG Audio Stream

http://www.4shared.com/audio/F58Pn6mz/800_-_DIMENSO_DO_TER_E_DO_SER_.html



Amas o Bastante?








“Perguntou-lhe terceira vez: Simão, filho de Jonas, amas-me?”
(João, cap. 21, v. 17)



Aos aprendizes menos avisados é estranhável que Jesus houvesse indagado do apóstolo, por três vezes, quanto à segurança de seu amor. O próprio Simão Pedro, ouvindo a interrogação repetida, entristecera-se, supondo que o  Mestre suspeitasse de seus sentimentos mais íntimos.

Contudo, o ensinamento é mais profundo.

Naquele instante, confiava-lhe Jesus o ministério da cooperação nos serviços redentores. O pescador de Cafarnaum ia contribuir na elevação de seus tutelados do mundo, ia apostolizar, alcançando valores novos para a vida eterna.

Muito significativa, portanto, a pergunta do Senhor nesse particular.

Jesus  não pede informação ao discípulo, com respeito aos raciocínios que lhe eram peculiares, não deseja inteirar-se dos conhecimentos do colaborador,  relativamente a Ele, não reclama compromisso formal.

Pretende saber apenas se Pedro o ama, deixando perceber que, com o amor, as demais dificuldades se resolvem.

Se o discípulo possui suficiente provisão dessa essência divina, a tarefa mais dura converte-se em apostolado de bênçãos promissoras.

É imperioso, desse modo, reconhecer que as tuas conquistas intelectuais valem muito, que tuas indagações são louváveis, mas em verdade somente serás efetivo e eficiente cooperador do Cristo se tiveres amor.

EMMANUEL
(Caminho, Verdade e Vida, 97, FCXavier, FEB)
______________________________________
E tu...
___________________ ___________________

Eu Tenho a Ti , JESUS











Jesus amado,
Meus dias, a partir de hoje, raiarão floridos, porque eu tenho a Ti!...
Não mais as lágrimas, não mais a dor, não mais as queixas, não mais as manhãs cinzentas, porque eu tenho a Ti!
Hoje, eu prometo ser diferente, mais confiante, valente, guerreiro de minha própria causa, destemido, ardente, como Tu mesmo o fostes; assim serei!...
Hoje, para começar, quero olhar para vida sem medo de receber chacotas, críticas, desprezo, ironias, maus tratos e palavras frias, vou olhar a face da hipocrisia sem me abalar, sem sofrer, pois que me importam as decepções da estrada, as pedradas, as desilusões, se eu tenho a Ti?
Junto ao Teu peito nunca mais serei pequeno! Serei grande, forte, arrojado, dono e senhor de mim mesmo, capacitado a me impor com nobreza, a participar, a seguir em frente, a fazer brilhar minha própria luz, a criar, porque eu tenho a Ti!
Se me amam menos, que importância tem? Se o que faço não conta, que importância tem? Importa é que sigo contigo, seguro, e aprendo em teus olhos que o que vale é que Tu me amas e eu tenho a Ti!
Quando chegar a noite, Jesus amado, e ao deitar-me, quero te agradecer, feliz, por ter estado contigo, por ter me resguardado, ter amado, perdoado e ganho assim o meu dia, ao teu lado! Quero adormecer em paz qual criança pequena que nada teme quando em colo amigo, assim serei contigo, hoje e sempre, porque tenho a Ti!

Assim seja!


Psicografia recebida no Instituto André Luiz em 03.02.2003/Revista em 31.08.2011 (Com registro BNB)